Vale d'Assega

Experiências de um Apicultor

Criação de nova colónia a partir de dois nùcleos Lusitanos

Confirmado que foi o nùcleo N-5 não possuir rainha e como o nùcleo N-1 se encontrava já a necessitar ser passado para um ninho por se encontrar repleto de abelhas e os quadros todos puxados e preenchidos, pensei juntar os dois nùcleos afim de fortalecer a nova colónia que ia criar, a 5-A, uma colónia Lusitana destinada ao apiário da Assega.

Dia 26 de Setembro esperei pela noite, para que todas as abelhas que constituiam o nùcleo N-5 se encontrassem no interior da mesma e transportei-a para junto do nùcleo N-1. Antes havia já transportado um ninho Lusitano, marcado com o numero 5-A, onde seriam reunidos os dois nùcleos.

Com cuidado, para não enervar demais as abelhas, removi o nùcleo N-1 do suporte onde se encontrava e coloquei, no lugar, o ninho 5-A. Borrifei em seguida, ligeiramente, o ninho no interior com uma mistura de água, açucar e um pouco de mel. Feito isto, começei a passar os quadros do nùcleo N-1 para o interior do ninho, depois de os borrifar também com um pouco da mistura, para que as abelhas perdessem o cheiro caracteristico da colónia a que pertenciam. Depois de todos quadros passados, borrifei o interior do nùcleo, onde tinham ficado ainda algumas abelhas e bati essas abelhas para o interior do ninho.

Efectuei em seguida a mesma operação com o nùcleo N-5.

Quando, na Sexta-feira passada, dia 5, voltei ao apiário, havia algumas abelhas mortas no chão, mas a colónia encontrava-se a trabalhar normalmente, tendo ainda verificado a existência de criação recente.

Ter conservado, e alimentado, durante algumas semanas as abelhas no nùcleo N-5 foi proveitoso porque alguns quadros foram puxados. Neles foi feita uma reserva de mel e polén, que foram passados para a colónia 5-A.

Durante uns tempos tive um nùcleo onde só eram criados zangãos e, ainda para mais, de má qualidade? A nova raínha vai inibir a postura de ovos pelas abelhas, os zangãos vão nascer e ser expulsos. Tudo voltará à normalidade. No final, ganhei dois quadros puxados com uma reserva de mel e polén.

Utilizei a mistura de açucar, àgua e mel para unir os enxames, porque isto vai induzir as abelhas a lamberem-se umas às outras para retirar e guardar o nèctar assim constituido. Enquanto estão ocupadas nesta tarefa, não lutam umas com as outras, perdem o cheiro caracteristico de cada colónia, o que faz com que se não reconheçam como inimigas, e dão tempo a rainha de emitir o feromona identificador que vai unir todas as abelhas à volta dela. Há quem utilise apenas o fumigador quando faz a união de dois (ou mais) enxames.  Da primeira vez que uni dois enxames, utilizei o mètodo do fumigador. No dia seguinte, ao voltar ao apiário encontrei as abelhas em guerra aberta. Só quando as borrifei com uma mistura de àgua e açucar se acalmaram, deixaram de se atacar e se aceitaram.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Por Tudo e por Nada

Experiências de um Apicultor

.

Experiências de um Apicultor

%d bloggers like this: